Florença: conhecendo o David de Michelangelo

Ao ler nosso último post sobre esculturas em Florença você pode ter se perguntado: “Por que o Detalhes de Viagem já não escreveu sobre David de Michelangelo com todo o destaque que merecia?”.  Simples, porque não seria justo com você – e nem com Michelangelo.

Michelangelo di Lodovico Buonarroti Simoni, mais conhecido apenas pelo seu primeiro nome, nasceu em Caprese no ano de 1475 e faleceu em Roma no ano de 1564. Passou a maior parte de sua vida estudando, criando e mudando o mundo em Roma e Florença. Em Florença, inclusive, foi onde viveu como aprendiz e mestre, tendo sido financiado pela família Médici em diversas oportunidades. Pois é, os Médici de novo, e acho que depois de alguns posts sobre Florença, passamos a entender como a Família Medici contribuiu significativamente para o mundo artístico.

Mas, o que mais sabemos sobre Michelangelo? Bom, apenas o suficiente para nos impressionar a cada vez que vemos uma de suas obras. Seja como pintor, escultor, poeta ou arquiteto, suas belas obras de arte foram espalhadas pela Itália e pelo mundo. Até mesmo suas obras incompletas são impressionantes, como os Prisioneiros.

Dentre as obras mais populares temos: os afrescos da Capela Sistina, a Criação de Adão, Julgamento Final, o Martírio de São Pedro, Conversão de São Paulo, a Cúpula da Basílica de São Pedro (lembrando tratar-se da maior do mundo), as esculturas de Leda, Moisés, Pietá e, claro, David.

DSC_0187
Os Prisioneiros, no corredor, e o David lá no fundo.

E por que escolhemos falar desta escultura em especial? Porque está em Florença e certamente foi a escultura que mais nos impressionou até hoje. Acha exagerado de nossa parte? Bom, saiba que, devido à genialidade atribuída à escultura, David foi escolhido como símbolo máximo da República de Florença.

Majestoso em seus 5,17 metros de mármore esculpido em linhas curvas entre os anos de 1501 e 1504, Michelangelo dizia que a obra já estava pronta, ele apenas tirou os excessos. Modéstia ou não, o que sabemos é que o bloco de mármore bruto originário de David ficou exposto ao tempo por 25 anos antes de Michelangelo assumi-lo, deteriorando-se e sendo oferecido para vários artistas que não tinham interesse em produzir algo no bloco. Tempo este, inclusive, próximo à idade de Michelangelo quando finalizou David, com apenas 29 anos. Gente, 29 anos! Era ou não era um gênio?!

Todos os artistas famosos da época (como Donatello e Verrochio) haviam retratado David após seu triunfo sobre o gigante Golias. Mas Michelangelo queria fazer diferente. O David de Michelangelo está posicionado em pé olhando o horizonte como se estivesse prestes a enfrentar Golias, momentos antes da batalha. Até o olhar de David é destaque. Michelangelo perfurou a região da pupila dos olhos em forma de “V”, como um casco de cavalo. Com isso, quando a luz incide transversalmente à parte em “V”, cria-se um efeito próximo ao brilho de um olho humano.

DSC_0193
Parece ou não parece vivo de verdade?

Segurando apenas a funda (espécie de estilingue), o corpo nu de David revela inúmeros detalhes. São veias, músculos e uma proporcionalidade e semelhança com o corpo humano que torna este gigante ainda mais espantoso. A impressão que se tem é que ele pode se mexer sair andando a qualquer minuto.

Mas claro que quando falamos em nudez, tocamos em outro ponto sensível. Sempre retratado com roupas até então e em uma época onde a nudez em público não era bem vista – mesmo tratando-se apenas de uma obra de arte – então a escultura de David gerou muitas polêmicas. Ficando na Piazza dela Signoria, principal Praça de Florença, até 1873, foi lapidada e coberta em nome da moral. Quem vai à praça, como dissemos no post anterior, poderá ver uma réplica de David onde esteve por séculos.

O David original pode ser encontrado na Galleria dell’Accademia di Belle Arte, situada na Via Ricasoli, 58/60. Caso não esteja com um mapa aberto, fica a três quadras da catedral de Santa Maria del Fiore, sentido oposto ao Rio Arno. Ou seja, basta estar no centro de Florença que será possível ir caminhando.

A Academia de Belas Artes de Florença é uma das mais famosas escolas de ensino artístico do mundo, resultado da organização dos profissionais de arte da cidade que se iniciou em 1339. O próprio Michelangelo foi Diretor da Escola em 1562, que teve ilustres alunos, como Galileo Galilei. E em seu anexo, na galeria, é onde ficam expostas várias obras famosas.

Vamos aos Detalhes. Mas, antes de qualquer coisa, sempre sugerimos verificar o site oficial da Galeria (http://www.galleriaaccademiafirenze.beniculturali.it) para que confirmem as informações abaixo, já que poderão sofrer alterações a qualquer tempo.

  1. Qual o horário de funcionamento da galeria? De terças a domingos, das 08h15min às 18h50min. Excepcionalmente nas terças e sextas o horário de fechamento se estende até ás 22hrs. A Galeria também não abre dias 01/01, 01/05 e 25/12 independente do dia da semana que caírem.
  2. É possível comprar o ticket na hora? Sim. Existe uma bilheteria ao lado da Galeria onde você poderá comprar o ingresso. Não encontrei nada sobre que horas abre, mas imagino que não muito antes do horário de abertura da Galeria. A bilheteria fecha às 18h20min.
  3. Tem como comprar antecipadamente os ingressos? Sim. É possível comprar pela internet (você vai precisar se cadastrar no site: http://www.b-ticket.com/b-ticket/uffizi/venueAccademia.aspx) e por telefone (+39) 055294883. No mais, há sempre a opção de pedir a um conhecido que mora próximo ou em uma agência de turismo local. Quem compra antecipadamente paga uma taxa de reserva de quatro euros.
  4. Quais os preços? O preço cheio é de oito euros por pessoa. Os cidadãos europeus entre 18 e 25 anos com carteira de identidade ou passaporte pagam meia entrada.

Como deve imaginar, a Academia é uma parada obrigatória para quem visita Florença e por isso está sempre cheia, principalmente em alta temporada. Então recomendamos que:

  • Se for possível, compre o ticket com antecedência por telefone, site, agência de viagens ou peça para algum conhecido que more por perto, principalmente em alta temporada. Sempre achamos que seu tempo quando viaja é ainda mais valioso para arriscar passar muito tempo em uma fila.
  • Caso não se sinta a vontade em comprar pela internet ou não sabe bem qual dia exatamente estará na região, visite a galeria logo cedo ou mais para o fim da tarde, quando há uma chance das filas estarem menores. Cuidado para que não chegue tarde a ponto de precisar correr para ver todas as obras.

Lembre-se que os ingressos são comprados com hora marcada. Ou seja, ainda que você compre um ticket em determinado momento, só poderá entrar no horário expresso no ingresso.

Ah! Da última vez que estivemos por lá, estavam permitindo fotos sem flash.

DSC_0199
“Oi, sou o David, vou ali bater no Golias e volto já.”

Mesmo assim, não deixe de tirar um tempo para sentar em um dos vários bancos próximos para apenas observar. Quem sabe ele até não se mexe de verdade? 😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: