Começando a planejar sua viagem para a Ilha de São Miguel nos Açores

Olá Viajantes!

Talvez você tenha chegado nessa matéria porque leu nossos 7 motivos para conhecer a Ilha de São Miguel nos Açores. Agora que já teve um gostinho inicial desse destino, vamos aos Detalhes úteis, dicas e um pouco da história para aproveitar melhor sua viagem.

Uma das muitas belas vistas que você terá ao longo da sua viagem pela ilha

A Ilha de São Miguel, com seus quase 750 km², não é só a maior ilha do arquipélago dos Açores, mas também é a maior ilha de todas as integrantes do território português. Sendo quase nada maior do que sua conterrânea (e talvez mais famosa) Ilha da Madeira.

Apesar de terem quase o mesmo tamanho, São Miguel possui quase metade da população da Ilha da Madeira. Embora eu imagino que se contassem a quantidade de vacas da ilha, essa diferença diminuiria em muito. Em algumas estradinhas as vaquinhas até entram na frente hehe.

Esse é um daqueles destinos que vale a pena sentar na janelinha do avião

Outro fato interessante sobre a ilha é que foi “descoberta” pouco antes do Brasil. Estimasse que a sua “descoberta” pelos portugueses tenha ocorrido entre 1426 e 1439, e o seu povoamento iniciado apenas em 1444. A partir de então, a ilha passou a acompanhar a história portuguesa de ocupação, colonização e construção.

A história recente, no entanto, revela que não só os portugueses tiveram domínio sobre a ilha. O arquipélago, durante o século XVII, passou pela Dinastia Filipina da Espanha, assim como Portugal do continente. Inclusive a ilha não passou em branco entre as sangrentas batalhas da época. Alguns combates de navios famosos como a Batalha Naval de Vila de Franca (1582), cujo qual a derrota portuguesa para os espanhóis levou ao massacre de centenas de franceses e portugueses, foram travadas nas ilhas dos Açores e são lembradas até hoje. Com a restauração da independência de Portugal em 1640, São Miguel restabeleceu sua maior vocação: a de centro comercial. Comércio esse tão presente que extrapolava o território europeu, chegando às Américas e mesclando a com a história do Brasil e Estados Unidos com a chegada de imigrantes já naquela época.

Mas é claro que não foi apenas em meados do século XVII que recebemos os açorianos em continente americano. Imigrações aconteceram em diversos momentos desde então. Seja para tentar uma vida nova na américa ou para fugir das primeiras guerras, o Brasil foi o sonho de algumas famílias.

Além dos fortes, igrejas seculares ajudam a contar a história da ilha

Eu vi no Globo Repórter que a ilha é um vulcão, é verdade?

Sim, a ilha tem natureza vulcânica. Inclusive ainda pode apresentar atividade sísmica e explica boa parte do que pode ser visto por lá.

Imagina que entre o continente Americano e a Europa e África existe uma cordilheira gigantesca. Só que essa cordilheira está no meio do oceano, sendo a maior parte no fundo do mar. Ela existe e se chama Dorsal Meso-Atlântica. Com 11.300 km de extensão, ela praticamente corta o planeta de norte ao sul:

Imagem projetada da localização da Dorsal Meso-Atlântica.
Referência: https://www.3bscientific.com.br/product-manual/U70020.pdf

E porque estamos falando sobre isso?

Porque a cordilheira é fruto das atividades vulcânicas que ocorram nos últimos milhares de anos e, em seus pontos mais altos, formaram ilhas. Ou seja, as ilhas do Arquipélago dos Açores são as pontinhas de uma cordilheira que se estende submersa por milhares de quilômetros. Isso é muito legal de se imaginar!

E todo esse contexto se mostra presente aos olhos quando observamos o relevo montanhoso e com as diversas lagoas espetaculares na ilha. Na verdade, só de imaginar que as lagoas estão na verdade posicionadas nas crateras gigantescas dos vulcões, já faz deste lugar um cenário difícil de ser visto por aí e que merecem estar na sua lista de destinos a visitar.

Agora você deve estar se perguntando: “Que pessoal maluco que vai para uma ilha vulcânica?”. Fique tranquilo, apesar dos Açores possuir 26 vulcões ainda ativos, a maior parte está submersa ou sem atividades a séculos. Na verdade, é bem mais provável curtir o calorzinho de um banho termal causado por esse contexto do que viver uma situação de caos de filme de Hollywood.

Outro destaque geológico decorrente da natureza vulcânica da ilha são suas praias com rochas pretas. Em diversas praias que passamos era possível ver uma série de rochas vulcânicas sedimentares, na maior parte Basalto que resultou do esfriamento do magma, justamente dos episódios vulcânicos de milhares de anos atrás .Eu achei o contraste destas rochas com o mar muito legal, o que acharam?

São muitas praias e algumas piscinas naturais espalhadas pela ilha

Como é o clima e quando ir para São Miguel?

Os Açores é um destino para o ano todo se considerarmos que o inverno não é rigoroso. Vai depender um pouco do seu objetivo como turista.

Os meses de primavera e verão (maio a setembro) tendem a ser mais agradáveis por serem mais quentes e com menos vento. O que faz dos passeios nos picos ou nadar em algum lago ou praia mais convidativo. Um pouco mais cheio, mas nada que incomode porque não é um destino de massa.

Marina de Ponta Delgada em um dia agradável de fim de verão

Já os meses mais frios (que nem é frio se considerarmos que a mínima costuma ser de 12ºC e a máxima de 18ºC), deixam os banhos termais mais agradáveis, os preços dos hotéis e voos mais em conta e ainda possibilita ver baleias em avistamentos que passam pelas ilhas especialmente nessa época do ano.

Fato é que, não importa qual época do ano você venha, é bem provável que você pegue chuva, sol, nublado, vento, calmaria e tudo no mesmo dia. O tempo muda o tempo todo e muito rápido. Chegamos a acordar alguns dias com chuva e pegar sol intenso logo depois de terminar o café da manhã. Então não desanime se estiver um tempo relativamente ruim. Em 30 minutos, tudo pode mudar.

Gostei! Posso pegar um barco para chegar?

Não vou dizer que não pode, mas talvez não deva. A ilha não está assim tão perto do continente. Na verdade, o ponto mais extremo do arquipélago é também o ponto mais extremo da Europa toda. Legal pensar que você pode visitar o ponto mais extremo continental oeste da Europa (Cabo da Roca em Sintra) e o mais extremo considerando as pequenas ilhas (Açores) em uma mesma viagem para Portugal. Só para você ter uma ideia da distância da ilha para o continente, leva-se quase o mesmo tempo de voo entre Lisboa e Ponta Delgada (capital da Ilha de São Miguel) quando comparamos uma viagem de Lisboa à Paris.

Sendo assim, recomendo um voo que parta do continente europeu. Easy Jet e Ryanair para os adeptos ao low cost. Para os demais, SATA e TAP cumprem bem esse trajeto. Para quem parte do Brasil, sugiro pegar um voo TAP até Lisboa ou Porto e seguir para a Ilha. Podendo ainda no retorno da Ilha ao continente passar alguns dias viajando por Portugal antes de voltar ao Brasil. Se acharem interessante, podemos montar um roteiro pela ilha e continente em uma viagem completa por Portugal. Comenta aqui ou nas nossas redes sociais se preferirem.

Estradinhas bonitas e boas nos levaram para todos os cantos do nosso roteiro

Agora que cheguei na ilha, o que eu faço?

Embora dirigir de um extremo ao outro da ilha não leve mais do que um hora e meia e não chegue a 90 km de distância, o transporte público não é ponto forte por aqui.

Então a primeira recomendação é alugar um carro. Diversas empresas operaram aluguel com retirada já no aeroporto mesmo.

Não precisa se preocupar em pegar um 4×4, apesar de algumas subidas ou descidas, quase todos os lugares são acessíveis por carros e as estradas são muito boas e tranquilas para rodar até com carros 1.0. Com exceção de alguns picos e lugares onde o sinal ficava fraco, o GPS do celular funcionou muito bem. Se quiser evitar uma situação inesperada, você pode baixar os trajetos no seu mapa de celular e não precisará nem mesmo depender da internet.

Para quem gosta, dirigir pela ilha e parar (ou não) para tirar fotos de cada cantinho é uma das coisas mais legais para se fazer

Se você não se sentir à vontade para dirigir ou não puder, você pode pegar um táxi ou transfer no trajeto aeroporto/hotel e hotel/aeroporto. Para os passeios, existem empresas que oferecem passeios guiados com carros próprios.

Onde você recomenda ficar?

Existem algumas boas opções de hotéis espalhados pela ilha (Ponta Delgada, Furnas, Sete Cidades, Ribeira Grande ou Vila Franca do Campo).

Vai depender um pouco do bolso e do seu objetivo. Tem hotel com spa em piscinas termais e jardins para passar o dia. Tem hotéis com ótimos quartos, localização e um bom café da manhã para você usar como base para os seus passeios durante o dia. Há ainda disponibilidade de apartamento no Airbnb para os adeptos.

Enfim, a nossa opção foi um hotel que ficava em Ponta Delgada e gostamos. Desta forma pudemos explorar o centro a pé e partir de carro para os pontos turísticos e passeios mais longes que gostaríamos de conhecer. Ponta Delgada também tem a marina de onde partem os barcos para avistamento das baleias e golfinhos que foi um pulo para chegar.

Centrinho bonitinho de Ponta Delgada

E o que fazer na ilha?

Essa é a melhor parte e estamos preparando os próximos posts dedicados à algumas atividades e lugares para você curtir melhor todos os Detalhes da sua Viagem. Não deixe de nos acompanhar na nossa página no Facebook e no Instagram para ver em primeira mão nossos próximos posts e fotos sobre passeios, restaurantes e outras dicas de viagem.

Um comentário em “Começando a planejar sua viagem para a Ilha de São Miguel nos Açores

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: